A parábola do bom samaritano: Significado e 4 lições que podemos tirar para os dias de hoje

parábola do bom samaritano

A Palavra de Deus é uma fonte inesgotável de ensinamentos e orientações para a nossa vida. Então, conheça o que podemos aprender com a parábola do bom samaritano. 

Essa narrativa é importante, por transcender o tempo e nos trazer lições valiosas sobre o amor ao próximo e a importância de cuidarmos uns dos outros. 

Neste artigo, exploraremos o significado dessa parábola e extraímos quatro lições que são relevantes para os dias de hoje.

O que levou Jesus a contar a parábola do bom samaritano?

Jesus estava sempre com pessoas que desejavam ouvir seus conselhos e receber algum milagre. Naquele período, o povo de Jerusalém acreditava que o messias viria para livrá-los do poder do Império Romano.




Por esse motivo, alguns doutores da lei, preocupados com a fama de Jesus, também faziam perguntas procurando motivos para prendê-lo. É nesse contexto, que um desses doutores da lei perguntou o que ele deveria fazer para herdar a vida eterna

Jesus, porém, conhecendo o coração do homem, respondeu-lhe com uma pergunta: “O que está escrito na Lei? Como você a lê?” (Lucas 10:26). O doutor respondeu citando o grande mandamento: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

No entanto, quando o mestre elogiou a resposta, o doutor, lhe fez outra pergunta: “E quem é o meu próximo?” (Lucas 10:29). 

Foi nesse momento que Jesus contou a Parábola do Bom Samaritano, com o intuito de revelar o verdadeiro significado do amor ao próximo e mostrar como devemos nos comportar em relação aos outros.




Conheça 4 lições que podemos aprender com a parábola do bom samaritano

Antes de apresentar as lições, precisamos refletir que como seres humanos sentimos dificuldade de perceber a dor do outro. Além disso, acreditamos que não somos responsáveis pela pobreza, miséria e crimes que acontecem no mundo.

Assim, a parábola do bom samaritano tem um significado que vai além de socorrer alguém em perigo, mas com a maneira como nos vemos e os outros nos veem. Confira!

1. O amor ao próximo não comporta limites

Na parábola, um homem sofre um assalto, é espancado e abandonado à beira da estrada. No entanto, nem o sacerdote, nem o levita o socorreram. Quem fez isso, foi um samaritano, apesar das diferenças culturais e históricas, para e cuida dele. (Lucas 10:30-33)

Aqui, aprendemos como muitos de nós agimos na vida, nossas bases de “amor” se limitam aos nossos preconceitos, origem, raça ou status social.




Esse, portanto, é um dos maiores desafios que enfrentamos para eliminar os limites que impomos para tratar o próximo com o verdadeiro amor. 

Mas podemos vencer se, assim como o samaritano, estivermos dispostos a agir com benevolência por ser a coisa certa a fazer. 

2. Amar é agir

O samaritano não apenas sentiu compaixão pelo homem ferido, mas também agiu em seu favor. Assim, ele cuidou das feridas, levou-o a uma hospedaria e pagou pela sua estadia e tratamento. (Lucas 10:34,35)

Essa lição nos mostra que o amor ao próximo não é apenas um sentimento, mas também uma atitude.




Por isso, precisamos nos dispor a sacrificar um pouco do nosso tempo, recursos e conforto para ajudar aqueles que estão em necessidade. 

3. O próximo é aquele que precisa de ajuda

Nesta história, aprendemos ainda que o próximo do homem ferido não foi alguém de sua própria cultura ou religião, mas um estrangeiro samaritano. Assim, Jesus nos ensinou que o próximo não é determinado por laços sanguíneos ou afinidades, mas pela necessidade de ajuda. 

Observe que este amor não tem relação com ganhos e reconhecimentos na terra, mas de cultivar a natureza divina que Deus nos deu.

Portanto, devemos ajudar as pessoas que estão próximas de nós porque é o que Deus espera que façamos desde que nos criou para viver neste mundo. 




4. O amor ao próximo exige sacrifício pessoal

Ao investir o seu tempo e seus recursos para socorrer o homem, o samaritano demonstrou disposição em fazer algum sacrifício pessoal para ajudá-lo.  

Essa lição, portanto, nos desafia a sair de nossa zona de conforto e a nos sacrificar em prol do bem-estar dos outros. Na verdade, ele representou o amor de Cristo pelas nossas almas, quando desceu dos céus e veio morrer por nós.

Assim, essa passagem nos mostra que o amor verdadeiro exige que deixemos de lado nosso egoísmo e coloquemos as necessidades dos outros acima das nossas próprias.

Por fim, quando o doutor da lei respondeu que o próximo era o samaritano que socorreu o homem ferido, Jesus terminou dizendo: “Vá e faça você o mesmo” (Lucas 10: 36,37). 




Aprendemos, assim, que a mensagem central da parábola é sermos como o bom samaritano. 

Se gostou desse artigo, deixe seu comentário.

Continue a aprender sobre o amor de Deus com a Ilustração: A luz do amor de Jesus.

Sobre o Autor

Professor André
Professor André

Formado em Teologia, Tecnólogo em Gestão da Qualidade, Professor de cursos de Homilética, Exegese e Hermenêutica, André ministra na EBD e escreve para a Biblioteca do Pregador. "Fico feliz em compartilhar meus conhecimentos aqui no Conselho de Pastor".