Crucificado com Cristo – Pregação em Gálatas 2:20

Crucificado com Cristo - Pregação em Gálatas 2-20

Esboço de pregação temática no texto de Gálatas 2:20 com o tema: Crucificado com Cristo.

Tema do sermão: Crucificado com Cristo

Texto desta Pregação: Gálatas 2:20

Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.

INTRODUÇÃO




No cenário bíblico, a cruz transcende sua forma física; ela representa sacrifício, abnegação, obediência e renúncia (Lc. 9:23).

Diferentemente de estar crucificado como Cristo, Paulo destaca que estamos crucificados com Ele (Gl. 2:20).

Enquanto somos tentados a descer da cruz, é nela que encontramos triunfo (Jo. 19:30).

A verdadeira glória na cruz de Cristo é acessível apenas para aqueles que verdadeiramente estão crucificados com Ele (Gl. 6:14).




Descubramos quatro lições fundamentais que um crucificado nos revela:

I. O CRUCIFICADO NÃO TEM PODER SOBRE SI

A. Não age conforme sua vontade (Rm. 6:6-8).

⁶ Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.
⁷ Porque aquele que está morto está justificado do pecado.
⁸ Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos;

B. Morto para o mundo (Cl. 3:3).




³³ Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.

C. Nova criatura (2 Co. 5:17).

¹⁷ Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.

D. Propriedade de Cristo (Gl. 5:24).




²⁴ E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.

II. O CRUCIFICADO NÃO TOCA SEUS PÉS NA TERRA

A. Teologicamente, a salvação é uma libertação que eleva (Sl. 40:1-3).

¹ A minha alma estava abatida dentro de mim; lembrei-me, pois, de ti, desde a terra do Jordão, e desde os hermonitas, desde o monte de Mizar. ² As ondas me cercaram; todos os teus rigores e as tuas ondas passaram sobre mim. ³ Contudo, de dia o Senhor mandará a sua misericórdia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida.

B. Elevados às regiões celestiais em Cristo (Ef. 2:6).




⁶ E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus.

C. Sabedoria na busca do alto (Pv. 15:24).

²⁴ O caminho da vida é para cima para o sábio, para que se desvie do inferno que está em baixo.

D. Exortação a pensar nas coisas de cima (Cl. 3:1,2).




¹ Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. ² Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra.

III. O CRUCIFICADO NÃO PODE OLHAR PARA TRÁS

A. Olhar para trás indica retrocesso espiritual (2 Pe. 2:22).

²² Desse modo, sobreveio-lhes o que diz este provérbio verdadeiro: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama.

B. A mulher de Ló como advertência (Lc. 17:32).

³² Lembrai-vos da mulher de Ló.

C. Perigo de voltar atrás (Hb. 10:38).

³⁸ Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.

D. Orientação para olhar à frente e para cima (Hb. 12:1,2).

¹ Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta. ² Olhando para Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.

IV. O CRUCIFICADO É LEVANTADO POR QUEM O CRUCIFICOU

A. Aqueles que crucificaram Jesus também o exaltaram.

B. Lutas e aflições que elevam no devido tempo (Rm. 5:2-5).

² Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. ³ E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência. ⁴ E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. ⁵ E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

C. Exemplo notável de José (Gn. 41:38-57).

³⁸ Então disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este, em quem haja o Espírito de Deus? ⁵⁷ Vinham, pois, todas as terras ao Egito, para comprar de José, porque a fome era extrema em todas as terras.

ILUSTRAÇÃO: O Poder Transformador da Cruz Assim como a cruz transformou a história da humanidade, ela tem o poder de transformar vidas individuais. Cada pessoa crucificada com Cristo experimenta uma mudança radical, uma nova identidade e propósito. É um testemunho vivo da obra redentora da cruz.

Conclusão: Crucificado com Cristo

Leoni Kasef, com profunda inspiração, proclamou:

“A realeza do céu é para aqueles que, na terra, não tiveram outro trono senão a cruz.”

Paul H. Holdcraft destacou que a cruz não é apenas o centro da teologia; ela deve ser o projeto de vida cristã. Ele afirmou:

“A cruz é um programa de vida, não apenas um ponto teológico.”

Paulo, em Gálatas 2:20, nos ensina que a renúncia é o imperativo divino para uma vida vitoriosa em Deus.

Horácio expressou sabiamente:

“Quanto mais o homem renuncia a si mesmo, mais se aproxima de Deus.”

George McDonald, ao falar da escravidão do homem pelo pecado, afirmou:

“O homem está escravizado a tudo aquilo que ele não pode abandonar, a menos que abandone a si mesmo.”

No caminho de Emaús, Jesus disse aos dois discípulos, conforme Lucas 24:26:

“Porventura não convinha que o Cristo padecesse e entrasse na sua glória?”

Nossa tendência natural, como mortais pecadores, é desejar a glória sem padecimento, almejar a coroa sem passar pela cruz. William Penn expressou essa verdade com precisão ao dizer:

“Nenhuma dor, nenhuma palma; nenhum espinho, nenhum trono; nenhuma amargura, nenhuma glória; nenhuma cruz, nenhuma coroa!”

Mais esboços de pregações aqui.

Sobre o Autor

Professor André
Professor André

Formado em Teologia, Tecnólogo em Gestão da Qualidade, Professor de cursos de Homilética, Exegese e Hermenêutica, André ministra na EBD e escreve para a Biblioteca do Pregador. "Fico feliz em compartilhar meus conhecimentos aqui no Conselho de Pastor".

    Solicitar exportação de dados

    Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

    Solicitar a remoção de dados

    Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

    Solicitar retificação de dados

    Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

    Solicitar cancelamento de inscrição

    Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.