Os 3 ingredientes para Ação de Graças

Sermão Os três ingredientes para Ação de Graças

Sermão temático em 1 Tessalonicenses 5:16-18 sobre dar graças com o tema: Os 3 ingredientes para Ação de Graças.

Tema do Sermão: Os 3 ingredientes para Ação de Graças

Texto deste sermão sobre dar graças: 1 Tessalonicenses 5:16-18

Regozijai-vos sempre.
Orai sem cessar.
Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.

Introdução deste sermão sobre ação de graças

A ação de graças é uma prática muito comum na Bíblia, especialmente no Antigo Testamento. A palavra hebraica para “ação de graças” é “todah” e significa “louvor, adoração e agradecimento a Deus”.




Diversos salmos falam sobre a importância de agradecer a Deus. Por exemplo, no Salmo 100:4, diz: “Entrem por suas portas com ação de graças e em seus átrios, com louvor; deem-lhe graças e bendigam o seu nome”. No Salmo 107:1, diz: “Deem graças ao Senhor, porque ele é bom; o seu amor dura para sempre”. E em Colossenses 3:17, diz: “E tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando graças a Deus Pai por meio dele”.

A ação de graças é uma forma de reconhecer a bondade de Deus em nossas vidas e demonstrar nossa gratidão a Ele por tudo o que Ele fez por nós. É uma forma de mostrar que confiamos em Deus e que reconhecemos que todas as bênçãos que recebemos vêm dele. Além disso, a ação de graças nos ajuda a cultivar uma perspectiva de gratidão em nossas vidas, o que pode nos ajudar a encontrar alegria e contentamento em meio a qualquer circunstância.

A Bíblia menciona três ingredientes bíblicos que são necessários para levar tal estilo de vida de gratidão. Vamos aprender…

1. Uma vida de ação de graças é marcada por uma vida de regozijo

A. Na Bíblia, a palavra “Alegra-te” aparece cerca de 14 vezes. Mas eu selecionei 1 Tessalonicenses 5:16-18 por uma razão. Neste versículo, Paulo ordena que a igreja de Tessalônica se regozije enquanto ela estava no meio de uma severa onda de perseguição. As palavras de Paulo podem soar contundentes, mas, na verdade, não são.




B. Paulo está falando sobre alegria, não felicidade. A felicidade é circunstancial e uma emoção que não podemos controlar. Seremos espontaneamente felizes quando nossas circunstâncias forem boas, mas seremos espontaneamente infelizes quando as circunstâncias não forem.

C. Alegria, por outro lado, não é uma emoção espontânea, mas um ato intencional de fé. Habacuque 3:17 nos ensina que o regozijo é uma decisão que tomamos. É o primeiro ingrediente para uma vida de agradecimento.

2. Uma vida de ação de graças é marcada por uma vida de oração constante

A. Paulo então aconselha os cristãos na igreja de Tessalônica a orar sem cessar. Paulo enfatiza muito isso porque a oração é o combustível celestial que mantém a chama da alegria acima mencionada acesa mesmo em tempos de provações.

B. O dicionário define perseverança como “persistência em fazer algo apesar da dificuldade ou atraso em alcançar o sucesso”. Uma referência direta ao conceito de oração persistente é vista pela primeira vez em Lucas 18:1-8. Paulo repetidamente nos exorta a fazer o mesmo em Romanos 12:12; Efésios 6:18 e Colossenses 4:2.




C. Os humanos são orientados para os resultados e orar pode ser difícil quando os resultados atrasam. Eles são programados para procurar substitutos quando um determinado caminho parece ter falhado. Mas ao contrário do mundo, devemos orar persistentemente porque Daniel 10:12 nos ensina que no reino espiritual Deus responde nossas orações no momento em que começamos a orar, embora não vejamos resultados em nosso reino imediatamente.

3. Uma vida de ação de graças é marcada por uma vida de gratidão

A. Na Bíblia, homens de influência também eram homens que agradeciam a Deus verbalmente ou literalmente, mesmo quando em desespero. Jó agradeceu a Deus quando tudo estava perdido, Jesus agradeceu ao Pai antes de alimentar 5.000 pessoas no meio do nada. Paulo e Silas agradeceram e louvaram a Deus de dentro de uma cela de prisão em Filipos.

B. Encontramos tais homens fora da Bíblia também. Santo Inácio de Loyola rezou para que ele se tornasse um pão agradável ao Senhor enquanto estava sendo devorado vivo pelos Leões. John Hus, quando queimado vivo na estaca, orou para Deus ter misericórdia dele.

C. Finalmente, quero concluir dizendo por que devemos agradecer por tudo. A resposta está em Filipenses 4:7. A ação de graças protege nossos corações e mentes em Cristo Jesus contra circunstâncias que também nutrem nossa fé.




Conclusão deste sermão sobre ação de graças

Ao encerrar este sermão, fechemos os olhos, abaixemos a cabeça e assumamos um novo compromisso de levar uma vida que dê graças ao Senhor, marcada por uma vida de regozijo, oração constante e gratidão.

Se você gostou deste sermão sobre ação de graças, então veja mais esboços de pregações aqui.

Sobre o Autor

Professor André
Professor André

Formado em Teologia, Tecnólogo em Gestão da Qualidade, Professor de cursos de Homilética, Exegese e Hermenêutica, André ministra na EBD e escreve para a Biblioteca do Pregador. "Fico feliz em compartilhar meus conhecimentos aqui no Conselho de Pastor".