7 Princípios de Interpretação Bíblica

7 Princípios de Interpretação Bíblica

A palavra interpretar  pode ser usada para significar “entender”, “traduzir” ou “explicar”. Essas três funções do processo interpretativo também são apropriadas para a pregação.

Primeiramente, buscamos entender o que o texto está dizendo . Então traduzimos essa informação na mensagem teológica pretendida . Por fim, explicamos essa mensagem à congregação .

O intérprete precisa ter um conhecimento prático dos princípios básicos de interpretação. Esses princípios hermenêuticos são como os truques do ofício de um intérprete.

Eles nos orientam em nosso exame do texto para que nosso trabalho seja mantido dentro dos limites da hermenêutica legítima. A suposição por trás desses princípios é que, devidamente manuseado, o texto revelará seu significado ao intérprete.
Interpretar a Bíblia — hermenêutica — é a ciência e a arte de entender, traduzir e explicar o significado do texto das Escrituras.

Para guiar esse processo, o pregador pode seguir princípios básicos que ajudam o intérprete a discernir o significado pretendido pelo escritor do texto, em vez de impor suas próprias ideias ao texto. Aqui estão sete princípios que eu recomendaria.

1. Identifique o tipo de literatura do seu texto para entender seu significado.

Os estudiosos da Bíblia chamam isso de gênero do texto. Isso significa a forma geral que o texto assume – narrativa, profecia, poesia, história, evangelho, epístola.

Os vários tipos de literatura apresentam sua mensagem em diferentes estilos e com diferentes estruturas. Os textos narrativos não operam da mesma forma que as epístolas para transmitir sua mensagem ao leitor.

A variedade de formas literárias pode se tornar um estudo complicado. Os estudiosos da Bíblia vão além das formas básicas que mencionei aqui para subformas com diferenças sutis que o leitor comum pode não notar.

Muitas vezes eles discordam uns dos outros sobre essas sutilezas. Apesar dessas distinções técnicas, o pregador ainda pode reconhecer a forma do texto e como isso afeta o significado.

2. Considere o contexto da passagem para uma melhor compreensão de seu significado.

Este é frequentemente considerado o primeiro e mais importante princípio para uma interpretação precisa. Os estudiosos da Bíblia usam o termo contexto para discutir vários aspectos da escrita original do texto – histórico, social, político, religioso, literário.

É essa preocupação literária que tenho em mente como o contexto da passagem.
O escritor segue uma linha lógica de pensamento no que escreve. O que ele disse nos versículos ou capítulos anteriores e o que ele disse nos seguintes ajudarão a tornar o texto em questão claro.

Tirar o texto desse contexto corre o risco de interpretá-lo erroneamente. Muitas vezes, as pistas nos versos ao redor abrem aspectos do significado em seu texto que você teria perdido de outra forma.

3. Leia o texto pelo seu significado claro e óbvio.

Um mito comum e persistente sobre a Bíblia é que seu significado real está escondido atrás da mensagem superficial.

Embora a Bíblia use linguagem simbólica ou figurativa, a maior parte dela é clara para o leitor. Mesmo quando você não conhece as pessoas, lugares e eventos em questão, você pode entender o ponto do texto.

O uso de linguagem figurada nas Escrituras apenas aumenta o significado claro do texto. “Por que você reclama da farpa no olho do seu irmão quando você tem uma trave no seu próprio olho?” Jesus disse (Mt 7:3 NVI).

Embora esta seja uma linguagem figurada, não temos dificuldade em entender o que ele quis dizer. Seu uso das metáforas torna isso ainda mais claro.

4. Procure discernir as intenções do escritor quando escreveu o texto.

Este princípio de intencionalidade é crítico para o pregador expositivo. Você estuda o texto não para encontrar um sermão nele, mas para descobrir a mensagem pretendida pelo escritor.

A menos que você possa aprender o significado pretendido pelo escritor do texto, você não será capaz de pregar a mensagem do texto em seu sermão.

Lembre-se: “O texto não pode significar o que nunca significou”. Descobrir o significado original do escritor é sua primeira tarefa enquanto você se prepara para pregar para sua própria geração.

O significado pretendido do escritor do texto também será o significado pretendido do Espírito Santo que o inspirou a escrever. Ao ler suas palavras, você está lidando com uma revelação de Deus.

Lembre-se: “Toda a Escritura é inspirada por Deus” (2 Tm 3:16 NVI). O mesmo Espírito Santo que inspirou estas palavras em primeiro lugar quer que esta mensagem seja pregada novamente através do seu sermão.

E você quer pregar de uma maneira que esteja de acordo com os propósitos do Espírito.

5. Observe atentamente a linguagem do texto para ver o que ela revela sobre seu significado.

Palavras carregam pensamentos. As palavras do texto são tudo o que temos dos pensamentos do escritor. Se ele não tivesse escrito, não saberíamos o que ele estava pensando.

Assim, podemos olhar atentamente para suas palavras, examinando cada uma cuidadosamente para ver o papel que desempenha em sua mensagem. Observe também como as palavras e frases se conectam e como as frases são construídas.

Se você puder estudar o texto no idioma original, poderá obter mais informações sobre o significado. Muitos pregadores estudam grego e hebraico por essa razão.
Mas mesmo que você não consiga ler seus textos nesses idiomas, você ainda pode usar léxicos e livros de estudo de palavras para guiá-lo.

Embora sua congregação provavelmente não esteja interessada em hebraico e grego, seu estudo abrirá insights que tornarão a mensagem mais clara para eles. Você pode fazer isso sem entrar em detalhes sobre tempos e formas nos idiomas originais.

6. Observe os vários temas teológicos no texto.

Embora um texto tenha um significado pretendido, ele pode ter vários temas teológicos significativos. Ele também pode ter uma série de aplicações diferentes.

Ao fazer o diagrama estrutural e suas observações, você listará esses temas e o que o texto diz sobre eles.

Identificar esses temas e entender como eles se relacionam uns com os outros em seu texto é uma chave muito útil para compreender seu significado.

Esses mesmos temas teológicos aparecerão em diferentes combinações em vários textos ao longo da Bíblia. Em seu texto de pregação você tentará descobrir a melhor redação para o assunto do escritor e o modificador que o limita e focaliza.

Você também procurará no texto os predicados, as várias coisas que o escritor está dizendo sobre seu assunto. Os temas teológicos do texto lhe darão o que você precisa para essas tarefas.

Conheça também: Curso Introdução à Exegese Bíblica com Reverendo Deivinson Bignon.

7. Sempre tome uma perspectiva centrada em Deus para interpretar seu texto.

Isso significa olhar para o texto em termos do que ele revela sobre Deus e suas relações com sua criação, particularmente o homem. Isso é interpretação teológica.

Ela surge da suposição de que a Bíblia é realmente o meio de Deus se dar a conhecer a nós. O que ele diz sobre ele sempre será central em todo texto.

A Bíblia não foi dada por Deus para nos falar sobre os antigos religiosos e como todos nós devemos tentar ser como eles. Foi dado para nos contar sobre o Deus fiel a quem eles serviram ou negaram.

A resposta deles não é a mensagem central; A vontade de Deus e seu envolvimento com sua criação são. Mesmo textos que dão instruções sobre como devemos nos comportar revelam algo sobre Deus.

Tags: | |

Sobre o Autor